Tuesday, 2 April 2013

Programaçao em Angola – Java, C Sharp e Bases de Dados

 
  Todos os faladores da lingua de Camoes sao convidados a exporem seus problemas em programaçao em Java e C Sharp no website www.angoprogramacao.com  A JJC situada em Luanda especializa-se em ajudar profissionais e estudantes a resolver problemas ligados a programacao. Especialmente estudantes universitários sao convidados a achegarem-se a JJC. Perguntas sao respondidas, exercicios feitos, exemplos dados, enfim um festival de Côdigo e maravilhas programadas. pode tambem ligar para a JJC usando o telefone 913994797

Saturday, 25 February 2012

ANGOPROBLEMAS

Em Angola os problemas somam e seguem. A cada minuto do dia muita coisa acontece neste pais. O angoproblemas.com foi criado visando chamar atenção e divulgar o que está acontecendo. O site prove conselho sobre tudo e mais alguma coisa que acontece neste pais. Desde casos comunitários, domésticos, problemas de saúde, com as autoridades, profissionais e familiares, o Angoproblemas procura fazer a diferênça por uma Angola melhor. Não deixe de visitar http://www.angoproblemas.com

Friday, 9 April 2010

Horrores em Africa - Condenados por adultério - Horrors in Africa – Killing in the name of tradition and stupidity

video


Vive-se o ano 2010. Enquanto o resto do mundo procura desenvolver-se, eliminando focos de tensao politica e social, reduzindo o arsenal nuclear bélico, crescendo económicamente visando eliminar a pobreza, melhor a assistência medica, melhorando o sistema educacional e aumentando os campos verdes e os lugares de lazer para as crianças, alguns africanos descem cada vez mais na escala humana. Comportam-se como verdadeiras animais ( diria até menos pior do que estes) visto que animais nao matam por vingança, por ódio a seus semelhantes, por intolerancia, por maus e sumários julgamentos. As cenas este video sao horripilantes e das piores que se podem esperar de seres humanos. Viva a vida, o respeito por ela e pelo ser humano.

The year is 2010. While the rest of the world is engaged in it’s continuous development, trying to eliminate spots of political and social problems, reducing nuclear arsenal, growing economically, trying to eradicate poverty and sickness from our world, educating it’s people and fighting for a greener world, there is still a number of people specially from certain African countries that insist in ending live and spreading hatred and violence around them in the name of beliefs and tradition. The scenes in the video above illustrates this. Don’t get me wrong, I have nothing against Africans. I was born and live in Angola, but we need to start talking loud and strongly against some guys who are giving Africa a bad name.

Thursday, 21 January 2010

Frio Vs Makas e Problemas

Cheguei a Londres as 8:30 da manha de Domingo. Meu cunhado prestativo como sempre veio apanhar – me. Minha familia esta comigo e paramos em Shepherd Bush par pegar uns McDonald’s. O dia estava calmo. E Molhado. Belamente molhado. As estradas lindas como nunca. E calmas e quietas. Nao se via alma viva. Dentro do McDonald’s a rapariga Asiatica deu-me um sorriso antes de perguntar o que queria. Voltamos ao carro e para casa fomos. È isto que eu amo nesta terra. Calmaria e gentileza. Em todo lado. Em todo Lugar. Os Ingleses no local de trabalho ( Algures no escritorios da BP em Sunbury) nao conseguem compreender quando lhes digo que adoro o frio Londrino. Eles o detestam. Meu trabalho poe-me debaixo dum estress as vezes muito intenso. Viver num lugar quente como Luanda nao ajuda a assentar as ideias nem a acalmar o coraçao. Londres è o contrario. Problemas com quentura andam de maos dadas. Luanda è muito quente. Londres tem um frio ameno e agradavel. Quem me dera ter o frio Londrino algures em Angola ! Para la transportaria o governo de Luanda, o Ministério da Saúde, O pessoal das aguas e energia e todos aqueles cujo trabalho è uma sucessao de problemas e malambas de toda sorte. Fico por aquilo. Envio-vos um abraco frio, carregado de muita amizade e carinho. BBBBrrrrrrrrrrrr……..

Wednesday, 22 July 2009

Java, C Sharp (C# ) , programaçao em Luanda

Ajuda para programadores e estudantes em Luanda: http://www.angorecursos.com
Aqui voce aprende os essencias de programaçao Java, C Sharp (C# ) e outros.

Uma noite de Som

É Sabádo. Sao tres horas e meia da manha. Rolo na cama muitas vezes sem conseguir dormir. Nao que nao tenha sono. Na verdade este é o que nao me falta. Tive uma semana de trabalho intenso. Durante os últimos 5 dias acordei cedo, enfrentei um tráfego infernal casa trabalho, trabalho casa e esperava entao usar o fim de semana para recarregar baterias, descansar, dormir em paz, enfim ter um descanso merecido. Infelizmente aqui estou martelando estas linhas. Mas nao estou apenas fazendo um protesto silêncioso. Quando eram duas e meia em plena madrugada liguei para o número 113. O número de emergencias. Ali onde você liga e eles vêm correndo para ajudar-te. Falando com o operador, por sinal muito cooperador, fiz referência que poluiçao Sonora agora é contra a lei ao que ele concordou. Mencionei que meus dois vizinhos estavam dando duas festas barulhentas e como resultado tirando a paz dos vizinhos. Prometeu enviar a patrulha mais próxima. De onde vivo e andando a esquadra policial fica a menos de 10 minutos . Espero 1 hora. Nem sombra da policia. Volto a ligar para o 113. Promessas. Espero outra hora. Nada, Nil, Zero. A patrulha mais próxima ou é muito lenta ou esta a dormir. Ou talvez nao esta nem ai para com o nosso problemas. Este é uma problema em Luanda. A Qualidade dos individuos que deviam implementar o que o governo decide é pessíma. Para eles tudo é normal. Até o anormal. Mas devo reconhecer que estes sao apenas fruto da sociedade que criamos. So oferecemos o que um dia recebemos. Seremos cortezes e bondosos se um dia alguem ensinou-nos a se-los. Seremos educados se papai e mamae ou algumas instituicao caridosa um dia ajudou-nos a se-lo. Respeitaremos o vizinho se um dia alguém nos ajudou a implementar a regra áurea. Como individuos estamos muito mal. Verificamos algumas mudanças nas infraestruturas matérias deste pais. Temos estradas novas, mais predios, mais escolas e até mais hospitais. Mas como individuos regredimos muitas decádas. Andamos em carros potentes e bonitos e com ele aumenta a nossa arrogância e desrespeito para com os outros utentes da estrada como se o carro de repente nos tornasse seres superiores. Falamos alto e grosso para ostentarmos o pouco ou muito que os outros nao têm. Esquecendo-nos do que o roubado, defraudado ou conseguido da corrupçao so nos rebaixa como seres humanos. Enfim está muito dificil esta existência angolana. Ontem a guerra belicista, hoje a guerra social. Precisamos de mais firmeza na implementaçao das belas leis que possuimos. Precisamos formar melhor os nossos jovens para dota-los de uma mentalidade e attitude mais positiva do que a actual. Olhando a minha volta noto que a caminhada sera longissima e tortuosa, porque estamos num estado caótico. Anyway devo finalizar dizendo que quando eram quarto horas da manha a policia finalmente apareceu. Mando os confusionistas para o barulho e pude finalmente voltar a dormir. Aproveitei aquelas duas horas para programar um pouco. Falando em programar se estiver em Angola e precisar de ajuda sabia que a Angorecursos pode ajuda-lo(a) ? Aqui vai o endereço do site : www.angorecursos.com . Bom proveito.

Sunday, 10 May 2009

Os kassav da nossa vida






No sabádo último tive o prazer de reouvir grandes balanços musicais dos Kassav. Estes foram durante a decada de 80/90 talvez o grupo que maior aceitaçao teve entre os jovens angolanos da época. Ouvir vozes como as the Jean Philip Martelli, Patrick Saint Loius, Jocelyne, Jacob e outros era um absoluto prazer. Ver Marie Jibbon Jose dancar ao som cativante de move jou de jocelyne mexia com uma juventude a muito sedenta de qualidade musical. Ai eramos todos contagiados. Nao dançar musicas como Ce Pa Dje Dje ( Desculpe pelo meu fraquissimo francês) era comparavel a verdadeiro desastre. Este grupo que marcou profundamente (principalmente) a geraçao nascida nos anos 60 inicios de 70 tinha uma maneira de tocar cativante para a juventude angolana e africana/caraibas de tal modo que em festas entre nós era comum tocar - se a 60% músicas dos kassav, sendo os outros 30% reservada a música pop e brasileira. Os restantes 10% era música Angola e plenas Latinas tocadas principalmente a madrugada, quando a bebedeira tinha tomado conta dos corpos e mentes, sendo portanto a qualidade negligenciada. Nao que as plenas nao fossem boas. Nao. Ouvir um “estao matando los anios” era uma maravilha. O mesmo ja nao se podia dizer de ouvir os jovens do prenda, Kiezos, acompanhando Robertinho, Antónios Paulino e do Fumo e outros que desfaziam os nossos ouvidos com música paupérrima ( estes que desculpem-me a franqueza, mas do meu ponto de vista, sua música era um absoluto desastre). Felizmente surgiram vozes e dedos inovadores. Eduardo Paim e o seu SOS, Ruca Vandunem, Pedrito, Waldemar Bastos, Joao de assunçao ( lembram-se dele ? ) Manborró, Carlitos Burity e outros vieram limpar a barra e começou finalmente no final de 80, principio dos anos 90 a ouvir-se música decente. Hoje estamos completamente liberados. Nas festas inverteu-se o cenário. Mais de 60% da música é produçao nacional. O resto é algo que vem do Brasil, USA, Europa e resto do mundo. Mas voltando aos Kassav. Nunca nenhum grupo tocou tao profundamente a juventude angola. Foi bonito ver e viver os kassav na sua mais profunda intensidade. Alguns tentaram com certo sucesso tocar a nossa juventude tao profundamente. Jacinto Tchipa fe-lo por algum tempo. Paulo Flores estará eternamente nos nossos coraçoes. Pedrito jogou flores no meio de abrolhos. Bonga animava as noites diaspóras e mentes reprimidas com muito talento e mestria. Mas os Kassav’s foram os reis e senhores dos anos 80. Olho para o futuro com confiança e esperança de que um dia em Angola um grupo há de emular tamanho sucesso. Qualidade nao nos falta. Talvez mais profissionalismo, mais dedicaçao e menos tiba na hora do trabalho. O pais vós esta a disposiçao, os nossos bolsos e ouvidos também. Quem quizer pode tomar conta do Mercado. Yannick começou bem. Paulo Flores será sempre uma presença. Mas quem será o rei moderno da música angolana ? Uns atreveram-se a escolher Elias Dia Kimuezo como o nosso rei. Quem lhes deu tal direito ? Basearam-se em que critérios ? Quem os autorizou ? Quem os credenciou ? Quem quiser reinar aqui no burgo deverá doravante merece-lo. Por animar nossos coraçoes com boa música, por muitos dias, muitas semanas, muitos anos. Ai o povo, nao os criticos musicais, os radialistas ou os homens de cultura, voltar-se-ao um para o outro e dirao: “ Fulano(a) é indubitavelmente o rei/rainha da musica Muangolé” . Até lá continuo a espera.